• Viaje com Pouco

Muralha da China: dicas para conhecer e como fugir dos lugares cheios

Atualizado: 16 de Jul de 2019


Ni hao viajantes!!


Vocês também gostariam de conhecer a Muralha da China, um local lindo e cheio de história, sem ter que se apertar no meio de turistas?

Sabiam que parte da Muralha da China foi reconstruída para visitação, mas existem pedaços originais que podem ser vistos de perto?

Vou contar pra vocês um um pouquinho sobre a Grande Muralha, curiosidades e como chegar na parte não lotada!

O primeiro e mais importante a saber: a muralha é dividida em várias partes, sendo Badaling a de mais fácil acesso e turística (por isso super lotada!) e Mutianyu um pouco mais difícil de acessar e menos turística (bem mais vazia).

A foto em Mutianyu (esquerda) é minha e foi tirada no inverno, já a foto de Badaling (direita), imagino que é no verão e peguei nesse link .

Apesar das diferenças de estações, Badaling é sempre mais cheia e explico: facilmente acessível por transporte público!

O que pode ser um ponto positivo por um lado, mas extremamente cansativo por outro.

Quando falamos em China, devemos sempre ter em mente que a quantidade de pessoas importa! Enfrentar filas para conhecer lugares ou para tirar fotos me faz perder o interesse e acabo pulando muita coisa legal!

Assim que cheguei todos me disseram pra ir pra Mutianyu porque a experiência seria melhor já que é vazia e existem partes reconstruídas e originais (o que da pra ter uma ideia do que era a Muralha antigamente). Além disso, por não ser lotada, a vista da muralha serpenteando nas montanhas é incrível e no fim do passeio há possibilidade de descer de tobogã! O que por si só já é uma diversão à parte!

Importante mencionar que é possível chegar de transporte público a Mutianyu, mas senti muita dificuldade em comunicar com os locais fora do centro de Pequim e como era Natal, preferi não arriscar uma dor de cabeça ou de perder a visita, já que deixei para o último dia!

Chegar lá de transporte público é um pouco mais complicado que Badaling, pois é necessário pegar um táxi do terminal de ônibus até lá e combinar preços para o motorista te esperar na porta. Trata-se de uma parte da Muralha muito mais afastada do centro e não há transporte disponível, por isso a recomendação de combinar com o taxista!

Escolhi um tour e paguei 40 dólares em um passeio em grupo que incluía o transporte, buscando no hostel, um guia que falava inglês, o ingresso e um almoço tradicional chinês (levem suas garrafinhas e bebam depois porque a bebida não está inclusa e é uma facada)

Chegando lá, é possível subir a pé e sem custos, de bondinho ou combinar bondinho com tobogã, o que custa em média 70 reais os dois trechos (ida e volta) e não está incluído no passeio.

Não cheguei a ir pra Badaling, mas dá pra chegar facilmente e gastando bem pouco! Deixo a dica: Só pegar a linha 2 do metrô até a estação JiShui Tan e depois o ônibus 919!

Algumas curiosidades:

A construção da Muralha levou 20 séculos (!!!) e muitos morreram nesse processo -> estima-se que mais de 1 milhão de pessoas !

Sua extensão é de mais de 8.500 km por mais de 5 metros de largura no topo!

É o maior monumento já construído pelo homem!

A imensidão que sentimos ao chegar ao topo é real: não é possível ver toda sua extensão já que passa por mais de 100 vilas!

Em 2007 foi eleita uma das 7 maravilhas do mundo!


RESERVE AQUI A SUA VIAGEM!

(Você sabia que reservando pelos nossos links aqui do blog, você não paga nada a mais e nós ganhamos uma pequena comissão? Isso ajuda muito a manter o blog e trazer mais conteúdo legal e gratuito! <3)


🏨 Hospedagem

🚘 Carro com até 60% de desconto

📮 Seguro Viagem

✈️Passagens aéreas

📲 Chip Internacional



E aí, vamos subir a Grande Muralha da China?

#viajecompouco - pouco turista!

#muralhadachina #greatwall #pequim #beijing #china #inverno

148 visualizações

© 2017 Viaje com Pouco. Todos os direitos reservados.