• Viaje com Pouco

3 noites do Atacama ao Salar de Uyuni


Olá viajantes!!

Esse post é para mostrar os lugares que visitamos no passeio de 3 noites do Deserto do Atacama ao Salar de Uyuni.

Aqui no blog tem também dicas sobre o deserto e o salar, como chegar aos lugares, o que levar e quanto gastar, confiram!!

Dicas importantes para o Deserto do Atacama e o Salar de Uyuni

Melhor época para ir para o Salar de Uyuni

Resuminho do passeio:

3 noites do Atacama ao Salar de Uyuni com saída e volta a San Pedro de Atacama

Custo: R$ 575,00 (115.000 CLP - pesos chilenos). Valor que pagamos em Dez/2016.

Agora vamos conhecer os incríveis lugares que visitamos?

Primeiro dia

No primeiro dia a empresa que contratamos nos buscou no hostel, de lá fomos para a imigração Chilena e depois para a Boliviana. Após carimbarmos os passaportes, tomamos nosso café da manhã e partimos para o passeio.

A primeira parada em si é a porta de entrada da Reserva Eduardo Avaroa (onde temos que pagar 150 Bolivianos para preservação do local), lá tem informações sobre a reserva e banheiros.

Após isso, finalmente começamos o nosso passeio.

Primeira parada: Laguna Blanca

Ela fica a 4.350m de altitude em relação ao nível do mar, tem 10,9km² de área e tem esse nome pelos minerais da água que deixam ela branquinha assim.

Venta muito e faz muito frio, portanto é importante estar bem agasalhado!!



Segunda parada: Laguna Verde

Após alguns minutos no carro, paramos na Laguna Verde, que tem essa cor incrível porque a água é rica em minerais de arsênio e cobre.

Logo atrás fica o Vulcão de Licancabur, que podemos ver tanto na parte Chilena do deserto quanto na parte Boliviana. Ele tem 5.916m de altitude na parte mais alta e várias empresas fazem passeios para subir até o topo.


Terceira parada: Desierto de Dali

Vista conhecida no famoso quadro de Salvador Dali. Os nativos dizem que o local serviu de inspiração para o artista. Não dá para negar que é um lugar incrível, não é mesmo?!

Ali tem uma placa que explica um pouco sobre o lugar. Ela diz assim: "É um conjunto de rochas vulcânicas de formas surrealistas localizadas no meio de um deserto conhecido como "Pampa Jara", nas proximidades do Salar de Chalviri, e apresenta diversas cores e formas em meio a cordilheira que as rodeia. As rochas no deserto de areia e as coloridas montanhas ao seu redor fazem do local um espaço surrealista que chama a atenção de todos os visitantes.


Quarta Parada: Termas de Polques

As famosas águas termais do deserto na Bolívia que ficam a 4.400m de altitude.

Para entrar é preciso pagar a quantia de 20 bolivianos.

Imagina um lugar que está 2ºC fora e 40ºC dentro?

É super relaxante e vale muito a experiência.


Quinta parada: Géiseres Sol de Mañana

Um local de intensa atividade vulcânica a 4.800m de altitude.

O mais legal é que os géiseres estão em ação o tempo inteiro, o que traz um cheiro bem forte (tipo de ovo cozido), e deve-se tomar bastante cuidado, pois um pode entrar em ação bem do seu ladinho, te forçando a correr dali e te dando um belo susto (foi o que aconteceu comigo hahaha).


Sexta parada: Laguna Colorada

Como se já não tivéssemos nos surpreendido o bastante, vem essa lagoa vermelha, com flamingos de várias espécies e uma vista espetacular.

Esse é um dos pontos mais altos e frios do passeio, mas o lugar é indescritível.

A lagoa fica dessa cor pela alta concentração de algas (que são o alimento dos flamingos).

Após caminharmos para conhecer a lagoa, fomos para o hostel dormir e continuamos no segundo dia..

O hostel fica na cidade de Villamar, é bem simples mas é confortável. Para tomar banho quente temos que pagar 10 bolivianos.


Segundo Dia

Primeira parada: Pinturas rupestres feitas pelo povo Inca

Em meio a um imenso deserto existem desenhos feitos pelos incas, são figuras de animais e de pessoas (provavelmente retratos de pessoas que conviviam ali), uma bela aula de história em meio à uma imensidão!

E dali conseguimos ter uma bela visão de todo o deserto..


Segunda parada: Copa del Mundo

É uma rocha com o formato da taça dada nos mundiais de futebol, e não possui nenhum tipo de intervenção humana.


Terceira parada: Camelos

Como na parada anterior, são rochas vulcânicas com formatos de camelo e também sem nenhum tipo de intervenção humana.

Parecem camelos que pararam para descansar no meio do deserto..


Quarta parada: Itália perdida

Segundo o guia, antigamente haviam muitos turistas italianos que atravessavam o salar de bicicleta e se perdiam, e foi nesse lugar que os encontraram e batizaram o local com esse nome (Ok, não entendi nada hahaha).


Amiguinhos durante o caminho..


Quinta parada: Laguna Misteriosa

Essa está concorrendo ao meu lugar preferido da viagem.

Misteriosa porque ela é literalmente escondida. O carro passa por vários caminhos estreitos sobre pedras, e para num lugar cheio de lhamas.

Só de ter chegado nesse lugar eu já estava feliz, porque no meio daquele deserto de poeira e pedras era um lugar verdinho e muito agradável.


Caminhamos por cerca de 20 minutos e encontramos esse espetáculo da natureza: uma lagoa tão linda que não sei nem descrever, só quem viu pode dizer o quão especial é esse lugar. Pareceu um paraíso particular, ficamos um tempo e fomos almoçar, mas a vontade era de não ir embora mais..


Sexta parada: Anaconda

Um mirante altíssimo, um dos mais altos que já conheci.


Após o mirante, fomos dormir no hotel de sal, uma experiência muito diferente..

O chão, as camas, as mesas, as cadeiras, as paredes.. são todas feitas de sal!!

Novamente, o banho também era pago (10 bolivianos), e dessa vez tinha tolerância máxima de 5 minutos (e o dono do hostel gritava se o tempo passasse hahaha)



Terceiro dia

O lugar mais esperado da viagem finalmente chegava!

Primeira parada: Nascer do sol no Salar de Uyuni

Se o guia perguntar se vocês querem ver o nascer do sol no salar, respondam que sim!!

Pode ser um pouco cansativo, mas vale muito a pena!!

Acordamos às 4:00 da manhã para ver esse incrível espetáculo da natureza. Que sensação indescritível! Tudo o que eu conseguia pensar era em gratidão por poder estar lá.



Segunda parada: Isla Incahuasi

Um local de trekking cheio de cactos gigantes, que segundo a história, é o lugar onde os incas paravam para descansar quando atravessavam o salar a pé. Para fazer o trekking é preciso pagar 25 bolivianos, e do topo pode-se ter uma vista incrível do salar.


Terceira parada: Fotos no Salar de Uyuni

O guia para o carro num lugar onde perdemos de vista a imensidão do deserto de sal e ele mesmo tira as fotos típicas do salar. Como ele não tem dimensão, resulta em fotos super divertidas, é só usar a imaginação!


Quarta parada: Hotel Playa Blanca - Primeiro hotel feito de sal do mundo

Nessa parada podemos ver bandeiras de diversos países e podemos ver a estrutura do primeiro hotel de sal do mundo - que hoje é um museu -. Caminhando um pouco, temos uma escultura do Dakar da Bolívia.



Quinta parada: Feirinha de artesanatos para comprar lembracinhas.

Sexta parada: Cemitério de trens

Antigamente, era uma antiga linha férrea que passava perto da cidade de Uyuni, hoje encontra-se desativado e os trens largados ali, formando um verdadeiro cemitério de trens.


Essa foi a última parada do passeio.

Saindo dali fomos à cidade de Uyuni e pegamos o caminho de volta, dormimos no hostel da primeira noite, e voltando no dia seguinte para San Pedro de Atacama.

Espero que tenham gostado do relato da nossa experiência no deserto do Atacama e no Salar de Uyuni.

Até a próxima!

#viajecompouco

#viajecompouco #bolivia #chile #desertodoatacama #deserto #salardeuyuni #salar

© 2017 Viaje com Pouco. Todos os direitos reservados.